Novo modelo operacional da SITAWI

Sob o manto das Finanças do Bem, a SITAWI atua em ‘mercados’ diversos, que vão da filantropia às segundas opiniões de títulos com abordagem ESG. E todos esses mercados têm crescido de forma exponencial nos últimos anos.

A SITAWI não foi só partícipe do crescimento desses ecossistemas, mas também é protagonista de sua evolução, tendo adaptado a cada momento sua forma de operar e suas ofertas. Com isso, tem sido possível atender melhor as demandas da sociedade de alinhar o fluxo do capital à construção de uma sociedade cada vez mais sustentável e justa.

Há quase 9 anos, a SITAWI atua sob uma única marca e duas entidades jurídicas – uma sem fins lucrativos (a OSCIP com razão social SITAWI, CNPJ 09.607.715/0001-34), que desenvolve o Programa de Finanças Sociais, e outra com fins lucrativos (razão social Koan Finanças Sustentáveis Ltda, CNPJ 09.212.050/0001-07), que desenvolve o Programa de Finanças Sustentáveis. Ambas compartilham infraestrutura física, digital e políticas institucionais, e oferecem propostas de valor complementares aos parceiros e clientes.  Como parte deste acordo, a LTDA também doa 10% da receita líquida para a OSCIP. Não há participação de sócios ou diretores de uma organização na outra. Áreas de suporte estão unificadas na OSCIP, prestando serviços compartilhados. Este modelo operacional sempre foi descrito de forma transparente no site e relatórios anuais da SITAWI.

Para além do acelerado crescimento nos últimos anos de cada Programa, ambos têm planos de crescimento ambiciosos, como mobilizar R$1 bilhão em Finanças Sociais, e triplicar a equipe e expandir para toda América Latina em Finanças Sustentáveis, até 2025.

Para continuar atendendo de forma cada vez mais efetiva as demandas, um novo modelo operacional e de governança serão implementados em 2022. Cada Programa terá sua própria  marca – SITAWI continuará representando o Programa de Finanças Sociais, enquanto o Programa de Finanças Sustentáveis atuará sob a marca NINT – Natural Intelligence. A infraestrutura física e  digital deixará de ser compartilhada, mas as duas organizações continuarão a oferecer  propostas de valor complementares para parceiros. Não haverá uma contribuição ‘automática’  de 10% da receita líquida, mas colaborações – especialmente em projetos de ‘benefício público’  – deverão continuar ocorrendo ao longo do tempo. Cada Programa terá suas próprias áreas de suporte e políticas institucionais. 

A transição – facilitada pela adoção de melhores práticas na relação entre as organizações  desde 2013 – se dará durante o ano de 2022 e será conduzida de forma responsável com todos  os públicos, sendo que, para os parceiros externos que tinham contato com apenas um dos  Programas – a grande maioria –, o dia a dia continuará sem alterações significativas.

As duas organizações manterão a visão compartilhada de ‘um mundo onde o capital é mais barato, abundante e paciente para organizações que promovem impacto socioambiental positivo’. Esse movimento vai permitir ainda o desenho de estratégias e políticas melhor adaptadas às ambições de cada Programa e aos distintos mercados, com benefícios de comunicação interna, externa e oportunidades de crescimento para os colaboradores.

Acreditamos que esta nova configuração atende melhor o conjunto de parceiros internos e externos na nossa jornada em direção a um mundo mais sustentável e mais justo.

Leonardo Letelier
Diretor Presidente, SITAWI

Gustavo Pimentel
Sócio Administrador, KOAN

 

Publicações relacionadas